EURATÓRIA

Início » Uncategorized » Versos da panfolia 92

Versos da panfolia 92

O RUMO, OU TALVEZ NADA

Omissos vagueiam

Pela indispensável consolação das almas

Quando dos corpos já não sobram senão

(Cruzamentos da vida)

sinais das horas que passam.

Orientem-se, diz a voz que nada nos diz,

sois vós que escolheis o rumo.

(Um resquício de tempos assim, esquecidos)

Polícias sinaleiros

a uma esquina abandonada

acenam determinados

a gente que não está lá

(e se calhar nunca esteve).

(gentilmente cedido por AAA)


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: